Pular para o conteúdo principal

Vinícolas em Santiago: Concha y Toro

Pirque, Abril 2015

No metrô a caminho de Pirque
No post anterior falei de alguns dos lugares legais que conhecemos em Santiago durante o tempo em que estivemos na cidade. A partir desde post, vou falar um pouco das vinícolas que conhecemos nos arredores da capital chilena e depois em Santa Cruz, no Valle de Colchagua. Os vinhos chilenos são reconhecidos e premiados não só na América Latina como em todo o mundo e para começar a conhecer este universo um pouco mais de perto, visitamos a Vinã Concha y Toro, a mais famosa e emblemática do país. A Concha y Toro fica em Pirque, distrito localizado a pouco mais de 20km do centro de Santiago. Para chegar até lá usamos o metrô, linha 4, até a estação de Las Mercedes e depois pegamos um táxi. Interessante citar que assim que a gente sobe as escadas do metrô em Las Mercedes, os taxistas já nos abordam perguntando: "Concha y Toro? Concha y Toro?" A vinícola realmente parece ser a única atração da pequena Pirque! rs

Concha y Toro foi fundada em 1883 por Don Melchor Concha y Toro e hoje está presente em mais de 145 países sendo o principal produtor de vinhos da América Latina e um dos principais produtores de todo o mundo. Seus principais vinhos são o Almaviva, Don Melchor e a linha Casillero sendo este último o mais conhecido rótulo da vinícola, tendo ótima relação custo benefício. Reservamos o passeio na Concha y Toro pelo site da própria vinícola antes de chegar ao Chile. A reserva é importante devido a popularidade da Concha y Toro: Os tours são normalmente cheios. Antes de chegar lá estávamos pensando se seríamos os únicos com crianças mas ficamos surpresos de ver que não só tinha criança mas também outros bebês. 

Amanda e a coleguinha a caminho das caves da Concha y Toro
O passeio começa com a guia contando um pouco da história da Concha y Toro enquanto caminha com o grupo pela propriedade. Em um dado momento, somos convidados a ir até os parreirais e experimentar um pouco das variedades de uvas usadas para fazer vinhos mas que não haviam sido colhidas na vindima, ou colheita, que ocorreu algumas semanas antes da nossa chegada. 

Amanda ficou um pouco desconfiada e acabou não provando a uva hehe
Esse momento foi bem interessante pra mim pois percebi o quão diferente é o sabor, a textura e até mesmo a cor e o tamanho de uma uva vinífera em comparação com uma uva comum que compramos no mercado ou na feira. A uva vinífera é bem menor e tem coloração e sabor mais intensos. Ainda assim, dela pro vinho propriamente dito há uma grande diferença de sabor, devido ao processo de fermentação, passagem por barrica e etc.

Provando Cabernet Sauvignon em estado bruto
Depois dos parreirais, fomos conduzidos até um salão onde começou uma dinâmica de explicação do processo de vinificação, degustação de alguns rótulos brancos e tintos, e dicas de harmonização para cada um dos vinhos que experimentávamos. É tudo bem educativo e foi possível aprender bastante nesse passeio. 

Taças do vinho Gran Reserva Serie Riberas para o grupo do tour. No final ainda levamos a taça vazia de brinde
O ápice do passeio da Concha y Toro é o momento em que a lenda do Casillero é contada durante a visita às caves no subsolo da centenária propriedade. Em resumo, a lenda diz que depois do Don Melchor perceber que camponeses que trabalhavam pra ele estavam roubando alguns de seus melhores vinhos, ele passou a projetar numa das paredes da cave com o auxílio de uma vela, a sombra de... digamos assim... uma figura não tão amigável que supostamente vigiava e protegia os vinhos. Os ingênuos camponeses então ficaram muito assustados e nunca mais se atreveram a roubar uma gota sequer dos vinhos do chefe. hehe 

A centenária e bonita cave do Casillero

Amandinha sem medo de lendas hehe
Terminamos o passeio com um belo almoço no restaurante da vinícola. Comi Garrón de Carneiro acompanhado de uma taça de Don Melchor, Syrah. Excelente!

Aguardando o almoço no restaurante da Concha y Toro
No próximo post conto sobre a Vinã Aquitania que também fica na região metropolitana de Santiago.

Abcs

Renato Vieira

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Vinícolas em Santiago: Viña Aquitania

Santiago, Abril de 2015

A Viña Aquitania foi a segunda vinícola que conhecemos em Santiago. Assim como a Concha y Toro, fica bem afastada do centro da cidade mas pode ser acessada com certa facilidade com a combinação metrô e táxi. A estação mais próxima da Viña Aquitania é a estação Quilin, na ruta verde do metrô santiaguino.
Diferente da Concha y Toro, a Viña Aquitania é pequena e desconhecida até mesmo para muitos chilenos. O primeiro taxista que pedimos pra nos levar lá nem sabia da existência dessa vinícola. Fundada por enólogos franceses da região de Bordeaux, a Aquitania produz somente vinhos Reserva e vinhos Premium e tem produção limitada tendo como foco sempre a qualidade ao invés da popularidade e produção em massa. Ainda assim, a maior parte da pequena produção é exportada para países na Europa e para os Estados Unidos. Descobri a Viña Aquitania quando pedi dicas do Chile a Madu, uma colega de trabalho, que também gosta de vinhos e tinha visitado essa casa durante uma via…

Uma tarde em Colonia del Sacramento - Uruguai

Buenos Aires / Colonia del Sacramento, 15 de Fevereiro de 2013

Colonia del Sacramento. Esse é o nome da cidadezinha uruguaia distante 1 hora de Buenos Aires pelo Rio de la Plata, navegando no Catamarã rápido da Buquebus. Na verdade existem outras companhias de barco que fazem essa rota como a Colônia Express, por exemplo. Escolhi a Buquebus que é a maior e mais popular. A proximidade com Buenos Aires e o fato de Colonia ser bem pequena, favorecem e viabilizam um bate-volta no mesmo dia. Decidi chegar lá no Uruguai na hora do almoço e voltar a noite.
A passagem comprei pela internet ainda no Brasil. Existem promoções pra quem volta no mesmo dia. Apesar de sermos todos "hermanos", achei o processo de emigração e imigração no terminal do Buquebus bem sério. Entrei num guichê onde um oficial portuário argentino carimbou minha saída do país e, logo em seguida, na cadeira ao lado, um oficial portuário uruguaio me fez perguntas simples e carimbou minha permissão de entrada no Urugu…

A busca pelo peixe perfeito em Pipa

Pipa-RN, Maio de 2016

Já nos últimos dias de Argentina pensávamos bastante na nossa volta ao Brasil e principalmente na  nossa chegada ao Nordeste... Pensávamos em o quanto seria gostoso poder comer um bom peixe de água salgada depois de quase duas semanas comendo carne vermelha... Desde o nosso primeiro dia em Pipa fomos então a busca desse tão desejado peixe e graças a Deus a oferta era tão grande quanto a nossa vontade! :) Encontramos alguns muito bons, outros normais mas apenas um PERFEITO! Importante é que terminamos nosso período em Pipa realizados nesse quesito! Para registro, aqui vão dois lugares onde comemos um bom peixe por lá:


Caxangá - Esse restaurante fica bem na praia e serve uma variedade de pratos para além do nosso desejado peixe! Bem tradicional em Pipa, o restaurante faz questão de anunciar através de plaquinhas os nomes de famosos que já comeram por ali... Por ligar muito pra isso (para não dizer o contrário) no momento em que estou escrevendo esse post s…

Farfarello - Cantina Italiana em Itaipava

Itaipava - Petrópolis, Janeiro de 2017

Um dos pontos altos dessa nossa viagem a Itaipava foi finalmente ter conhecido o restaurante Farfarello! Tenho alguns amigos que já conheciam o restaurante e me falaram muito bem desta casa cuja especialidade é cozinha italiana.

Um desses amigos inclusive chegou a dizer que gostava tanto do Farfarello que um dia a noite pegou esposa e filha, entrou no carro e subiu do Rio até Petrópolis só para comer nesse restaurante e depois voltar pra casa!

Com essas recomendações boas, aproveitei nossa estadia em Itaipava para conhecer a mais tradicional cantina italiana do distrito!
O Farfarello fica na Estrada da União e da Indústria 13.470. Foi inaugurado há 30 anos e se mantém até hoje em posição de destaque em meio a tantos outros bons restaurantes que foram povoando Itaipava desde então!
Inicialmente fomos até o Farfarello para um jantar numa sexta-feira a noite. O restaurante não estava lotado e conseguimos mesa sem demora. Ao entrar já percebemos aq…

Pinguinera - Ilha Martillo - Ushuaia

Quando saímos do porto de Ushuaia ontem depois do passeio de barco pelo Canal Beagle, Simona e Inbal me disseram que tinham planos de ir até a Laguna del Caminante no dia seguinte, bem cedo, hitchhiking, ou seja, pedindo carona para desconhecidos na estrada. Apesar de admirar muito esse espírito aventureiro delas, falei que talvez não fosse até porque poderia atrasá-las já que na minha cabeça dar carona pra duas meninas seria bem mais fácil do que dar carona para um marmanjo. Peguei o contato delas, nos despedimos e fui pro albergue ver o que faria no dia seguinte.
Ushuaia, Tierra del Fuego, 6 de Fevereiro de 2013

Decidi visitar a Ilha Martillo (nome visto nos mapas) ou Ilha Yécapasela nome original indígena. De especial nessa ilha, nada mais nada menos que uma colônia gigante de pinguins! Assim como os leões marinhos de ontem, pinguins são outros animais míticos para nós brasileiros que, desde a nossa infância, só os vemos pela TV! Nesse passeio, finalmente, teria a oportunidade de …